Glamour para as massas

Há algumas semanas, houve um burburinho geral na blogosfera especializada em moda. Por diversos motivos, teve quem amou e quem detestou a coleção da Stella Mccartney para a C&A.

Avisos aos desavisados: Stella é filha do famoso cantor inglês com o mesmo sobrenome, e referência no quesito moda atual. Preocupadíssima com a qualidade dos materiais de suas roupas, e também com a sua procedência (seguindo a onda natureba), Stella produz peças ditas “elegantes e atemporais”. E caras. Sim, como marca posicionada em luxo, não é de se espantar que os preços sejam bem compatíveis com o público (confere aí).

Pois bem. Eis que no final de março, a parceria com a C&A gerou controvérsias também entre os profissionais de marketing. A campanha era linda e bastante cativante para o público feminino. As peças eram diferenciadas e com um preço meio salgado para os padrões C&A de qualidade.

Se posicionamento é o espaço que marcas ocupam na mente do consumidor, podemos dizer que o posicionamento da C&A mudou bastante durante os últimos anos. Há muito tempo a figura do Sebastian deixou de estar associada à loja. Em 2006, a marca sofreu um enorme impulso em seu volume de vendas ao adotar Gisele Bündchen como garota propaganda em uma de suas campanhas. Desde então, diversos ícones internacionais que influenciam o jeito feminino de se vestir (ou ser) marcaram presença nas comunicações e coleções: Fergie, Beyoncé, Nicole Scherzinger, Cristina Aguilera (nhém) e tops como Isabeli Fontana, Raica Oliveira e a própria Gisele. As parcerias com grandes estilistas também não são novidade:  já passaram por lá Isabela Capeto,  Amir Slama, Renato Kherlakian e Hercovithc.

Será que todo esse glamour combina com a C&A? Será que a loja que, além de roupas com qualidade média, vende seguro e crédito pessoal tem a ver com o luxo de grandes estilistas?

A verdade é que a C&A tem se posicionado como ímpar, diferenciada mesmo que entre as grandes magazines. Adotou com afinco a questão do fast fashion, com coleções compactas, de alta rotatividade e acompanhadas de muito burburinho, diga-se de passagem. Resultado? O faturamento ó…

Faturamento das Grandes Magazines no Brasil. Fonte: Relatório Institucional Renner

Acho que convidar Stella Mccartney está bastante alinhado a ações estratégias anteriores da marca. Além do mais, entre a ralé e o crème de la crème, tem muita gente sim que quer uma Stella pra chamar de sua. E inclusive pagar um pouco a mais por isso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s